Home
Notícias
Fale Conosco
Quem Somos
Atuação
Clínicas
Aviso Legal

Introdução



Anatomia do Joelho

Rev. 03-06-2015

O joelho é formado pelo femur distal, tibia proximal e patela. Eles são mantidos pelos ligamentos e pela cápsula articular. Os meniscos provêm estabilidade à articulação.

1. Meniscos e Cápsula Articular

Os meniscos são discos fibrocartilaginosos e possuem a forma de um C, e são responsáveis pela absorção de impacto, aumentam a congruência entre as superficies articulares da tíbia e do fêmur, auxiliam na distribuição do líquido sinovial e na estabilidade do joelho.
A ausência dos meniscos levaria a um aumento da pressão sobre a cartilagem articular, levando a deterioração da sua superfície e conseqüente artrose.

2. Ligamentos

Ligamento cruzado anterior. É responsável pela limitação da translação anterior e rotação da tibia em relação ao femur.
Ligamento cruzado posterior. Evita a subluxação posterior da tibia em relação ao fêmur.
Ligamento colateral medial. Possui duas porções: superficial e profunda. Estabiliza a joelho nos estresses em valgo.
Ligamento colateral lateral ou fibular colateral. É o principal estabilizador ao estresse em varo. Faz parte do complexo ou canto posterolateral e resiste à rotação externa.

3. História e Exame Físico

É fundamental um boa história, determinando o esporte praticado, o mecanismo da lesão e os sintomas apresentados no momento e após o trauma.
O exame físico deve ser completo e cuidadoso, especialmente na fase aguda, devido a dor.
Alguns testes especiais devem ser realizados: Teste de Lachmann, Gaveta Anterior, Gaveta Posterior, Losee, Estresses em varo e valgo, Teste de McMurray, entre outros.

4. Exames Complementares

Alguns exames complementares podem ser realizados para uma completa avaliação destes pacientes. Inclui-se radiografias de frente e perfil, axial de patela e oblíquas se houver necessidade.
Ressonância Nuclear Magnética (RNM) não é um exame de rotina, porém em casos específicos pode se fazer necessário. Exame extremamente útil na avaliação de lesões. As lesões podem ser facilmente diagnosticadas pela história e exame físico, porém a RNM podem confirmar e documentá-las.

5. Vídeo-Artroscopia

A vídeo-artroscopia é um procedimento invasivo, que tem suas indicações, entre elas: hemartrose aguda, lesões meniscais, corpos livres, algumas fraturas do platô tibial, condromalácia patelar ou mal-alinhamento, sinovite crônica, instabilidade do joelho, derrames recorrentes, fraturas condrais ou osteocondrais,
Poder ser diagnóstica e ou terapêutica.

5.1 Como é realizada a Vídeo-Artroscopia.

É um procedimento realizado sob anestesia, em centro cirúrgico. O joelho é distendido com a irrigação de fluído (geralmente solução salina), que também ajuda a lavar a articulação de sangue e corpos livres.
São realizados portais, um para a introdução do artroscópio e outro para os instrumentos.
Inicia-se pela inspeção do espaço suprapatelar, à procura de corpos livres e plicas (aderências). A articulação patelofemural é então inspecionada à procura de lesões da superfície articular. Examina-se então os compartimentos medial e lateral. Utilizando probes palpa-se os meniscos à procura de lesões. No espaço intercondilar inspeciona-se o ligamento cruzado anterior. Pode-se documentar o exame através da gravação em vídeo, diagramas esquemáticos ou fotografias digitais.
As lesões podem ser tratadas, com auxílio de instrumentos próprios, remoção de corpos livres e reconstrução dos ligamentos cruzados anterior e posterior, quando indicado.

Consulte sempre um especialista em joelho para sua orientação.


Referências Bibliográficas:

1. Kocher MS et al: Diagnostic performance of clinical examination and magnetic resonance imaging in the evaluation of intraarticular knee disorders in children and adolescents. Am J Sports Med 2001;29(3):292.
2. Fraturas em Adultos, Rockwood, C.A., 4a. edição.
3. Lesões Ligamentares do Joelho, Alfred J. Tria, 2002.
4. Surgery of the Knee, John Insall, 3a. edição.
5. Insall & Scott Surgery of the Knee 5th Edition



Voltar
Voltar